Você está em - Home - Artigos - Regurgitação tricúspide no rastreamento de trissomias 21, 18 e 13 e síndrome de Turner em 11 0-13 6 semanas de gestação.

Regurgitação tricúspide no rastreamento de trissomias 21, 18 e 13 e síndrome de Turner em 11 0-13 6 semanas de gestação.

OBJETIVO:
Para investigar o desempenho de triagem no primeiro trimestre para aneuploidias incluindo uma avaliação do fluxo sanguíneo tricúspide no teste combinado de idade materna, translucência nucal (TN), freqüência cardíaca fetal (FCF) e livre de soro beta-gonadotrofina coriônica humana (beta -hCG) e gravidez proteína associada ao plasma A. (PAPP-A)
MÉTODO:
Rastreio pelo teste combinado foi realizado em gestações únicas, incluindo 19 614 com fetos cromossomicamente normais ou a entrega de um bebé fenotipicamente normal (grupo euplóide), 122 com a trissomia 21, trissomia 36 com 18, 20 com trissomia 13 e oito com síndroma de Turner . Em todos os casos o fluxo tricúspide foi avaliada para determinar se houve insuficiência tricúspide. Nós examinamos o desempenho de duas estratégias de triagem: em primeiro lugar, a avaliação do fluxo tricúspide em todos os pacientes e em segundo lugar, a seleção da primeira fase utilizando o teste combinado em todos os pacientes acompanhados pela segunda fase de avaliação do fluxo tricúspide apenas naqueles com risco intermediário de um em 51 a 1 em 1000 após a primeira fase.
RESULTADOS:
Regurgitação tricúspide foi observada em 0,9% dos fetos euplóides e 55,7%, 33,3% e 30% dos fetos com trissomias 21, 18 e 13, respectivamente, e em 37,5% dos doentes com síndroma de Turner. Em uma política de triagem com base na idade materna, TN, FCF, livre de soro beta-hCG e PAPP-A, para uma taxa de falso positivo fixo de 3% as taxas de detecção foram padronizados 91% de trissomia 21 e 100% de trissomia 18, trissomia 13 e síndrome de Turner. Avaliação do fluxo tricúspide em todas as gravidezes iria aumentar a taxa de detecção de trissomia 21 a 96%, e as taxas de detecção de trissomia 18, trissomia 13 e síndrome de Turner seria de 92%, 100% e 100%, respectivamente. As mesmas taxas de detecção foram alcançados com a estratégia em duas etapas, que foi necessário para avaliar o fluxo tricúspide em apenas 15% do total da população, com uma taxa de falsos positivos de 2,4%.
CONCLUSÕES:
Avaliação do fluxo tricúspide melhora o desempenho no primeiro trimestre de rastreio de trissomia 21.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed?term=Tricuspid%20regurgitation%20in%20screening%20for%20trisomies%2021%2C%2018%20and%2013%20and%20Turner%20syndrome%20at%2011%2B0%20to%2013%2B6%20weeks%20of%20gestation.



Texto Original

OBJECTIVE:
To investigate the performance of first-trimester screening for aneuploidies by including assessment of tricuspid blood flow in the combined test of maternal age, fetal nuchal translucency (NT) thickness, fetal heart rate (FHR) and serum free beta-human chorionic gonadotropin (beta-hCG) and pregnancy-associated plasma protein A (PAPP-A).
METHOD:
Screening by the combined test was performed in singleton pregnancies, including 19 614 with chromosomally normal fetuses or the delivery of a phenotypically normal baby (euploid group), 122 with trisomy 21, 36 with trisomy 18, 20 with trisomy 13 and eight with Turner syndrome. In all cases tricuspid flow was assessed to determine if there was tricuspid regurgitation. We examined the performance of two screening strategies: firstly, assessment of tricuspid flow in all patients and secondly, first-stage screening using the combined test in all patients followed by second-stage assessment of tricuspid flow only in those with an intermediate risk of 1 in 51 to 1 in 1000 after the first stage.
RESULTS:
Tricuspid regurgitation was observed in 0.9% of the euploid fetuses and 55.7%, 33.3% and 30% of the fetuses with trisomies 21, 18 and 13, respectively, and in 37.5% of those with Turner syndrome. In a screening policy based on maternal age, fetal NT, FHR, serum free beta-hCG and PAPP-A, for a fixed false positive rate of 3% the standardized detection rates were 91% for trisomy 21 and 100% for trisomy 18, trisomy 13 and Turner syndrome. Assessment of tricuspid flow in all pregnancies would increase the detection rate of trisomy 21 to 96%, and the detection rates of trisomy 18, trisomy 13 and Turner syndrome would be 92%, 100% and 100%, respectively. The same detection rates were achieved with the two-stage strategy-in which it was necessary to assess tricuspid flow in only 15% of the total population-at a false positive rate of 2.4%.
CONCLUSIONS:
Assessment of tricuspid flow improves the performance of first-trimester screening for trisomy 21.

Desenvolvimento WSB