Você está em - Home - Artigos - Avaliação de um modelo de mistura proposta para especificar as distribuições das medidas de translucência nucal no rastreamento pré-natal para síndrome de Down.

Avaliação de um modelo de mistura proposta para especificar as distribuições das medidas de translucência nucal no rastreamento pré-natal para síndrome de Down.

Um modelo de mistura de comprimento cabeça-nádega (CRL)-dependentes e CRL independente de medida da translucência nucal (NT) foi proposto para rastreio pré-natal para síndrome de Down. Nós aqui comparar a eficácia do método modelo de mistura com o método padrão, que utiliza NT múltiplo da mediana (MoM) valores em uma única distribuição. Definições Um programa de exames de rotina pré-natal para síndrome de Down que compreende 104 afetados e 22.284 gestações não afetadas.
A capacidade de NT para distinguir entre as gravidezes afectadas e não afectadas foi comparada utilizando o método de modelo de mistura e do método MoM padrão usando parâmetros de distribuição publicados para o modelo de mistura de NT e derivados destes parâmetros para o método MoM padrão. A precisão dos dois métodos foi comparada para NT e idade materna, comparando o risco médio estimado com a prevalência de síndrome de Down em diferentes categorias de risco estimado.
Usando NT sozinho observado estimativas de discriminação usando os dois métodos são semelhantes; a uma taxa de detecção de 70% das taxas de falsos-positivos foram de 12%, utilizando o método de modelo de mistura e de 10%, utilizando o método MoM. A estimativa de risco foi um pouco (mas não estatisticamente significativo) mais precisos usando o método MoM padrão.
O método de modelo de mistura não oferece vantagens sobre o método MoM padrão na triagem pré-natal para síndrome de Down, é mais complicado e menos generalizável a outros conjuntos de dados. O método padrão MoM continua a ser o método de escolha.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20356940



Texto Original

A mixture model of crown-rump length (CRL)-dependent and CRL-independent nuchal translucency (NT) measurements has been proposed for antenatal screening for Down's syndrome. We here compare the efficacy of the mixture model method with the standard method, which uses NT multiple of the median (MoM) values in a single distribution. Settings A routine antenatal screening programme for Down's syndrome comprising 104 affected and 22,284 unaffected pregnancies.
The ability of NT to distinguish between affected and unaffected pregnancies was compared using the mixture model method and the standard MoM method by using published distribution parameters for the mixture model of NT and parameters derived from these for the standard MoM method. The accuracy of the two methods was compared for NT and maternal age by comparing the median estimated risk with the prevalence of Down's syndrome in different categories of estimated risk.
Using NT alone observed estimates of discrimination using the two methods are similar; at a 70% detection rate the false-positive rates were 12% using the mixture model method and 10% using the MoM method. Risk estimation was marginally (but not statistically significantly) more accurate using the standard MoM method.
The mixture model method offers no advantage over the standard MoM method in antenatal screening for Down's syndrome, is more complicated and less generalizable to other data-sets. The standard MoM method remains the method of choice.

Desenvolvimento WSB