Você está em - Home - Artigos - O aumento da translucência nucal é associada com grande para a idade gestacional em recém-nascidos de gestações únicas.

O aumento da translucência nucal é associada com grande para a idade gestacional em recém-nascidos de gestações únicas.

Para avaliar a correlação entre as medidas ultra-sonográficos de translucência nucal (TN) e peso ao nascer neonatal na população não-diabética.
Uma análise retrospectiva foi realizada em todas as gestações de termo singleton entregues em nosso hospital entre 2004 e 2008. Os dados coletados incluíram idade materna, paridade, medição NT, os resultados de um ensaio de glicose, peso ao nascer, idade gestacional no parto e sexo fetal.
A população estudada foi constituída por 1649 pacientes. O NT média foi de 1,3 ± 0,5 mm. Fetos do sexo masculino apresentaram NT significativamente mais espessa (1,3 ± 0,5 vs 1,2 ± 0,4, P <0,001). NT significativamente correlacionada com o peso ao nascer (P = 0,002). Esta correlação foi independente do gênero neonatal. O NT mediana no grande para a idade gestacional (GIG) recém-nascidos foi significativamente maior do que no RN não GIG (1,4 mm contra 1,2 mm, P = 0,001). Equações para a probabilidade prevista para a entrega de recém-nascidos GTG foram derivados utilizando NT sozinho ou em combinação com paridade. Um aumento em 0,1 mm, no NT tem o rácio ímpar de 1,042 para a entrega de um recém-nascido OPL (P = 0,02). Conclusões: NT correlacionada com recém-nascidos GIG em prazo não-diabéticos. Esta correlação era independente do género neonatal. O impacto preditivo clínico do NT foi limitada a neonatos LGA.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21391873



Texto Original

To evaluate the correlation between sonographic measurements of nuchal translucency (NT) and neonatal birth weight in non-diabetic population.
A retrospective analysis was performed on all singleton term pregnancies delivered at our hospital between 2004 and 2008. Data collected included maternal age, parity, NT measurement, results of glucose challenge test, birth weight, gestational age at delivery, and fetal gender.
The study population comprised of 1649 patients. The mean NT was 1.3 ± 0.5 mm. Male fetuses had a significantly thicker NT (1.3 ± 0.5 vs. 1.2 ± 0.4; P<0.001). NT significantly correlated to birth weight (P=0.002). This correlation was independent of neonatal gender. The median NT in the large for gestational age (LGA) neonates was significantly higher than in the non-LGA neonates (1.4 mm vs. 1.2 mm, P=0.001). Equations for the predicted probability for delivering LGA neonates were derived using either NT alone or in combination with parity. An increase in 0.1 mm in the NT has the odd ratio of 1.042 for delivering an LGA neonate (P=0.02). Conclusions: NT correlated with LGA neonates in term non-diabetic patients. This correlation was independent of the neonatal gender. The predictive clinical impact of NT was limited to LGA neonates.

Desenvolvimento WSB